Formados em 1981, ex-alunos do curso de Agronomia da UEMA se reúnem após 36 anos

Reencontro da turma do curso de Agronomia, desde a formatura em julho de 1981, realizada há 36 anos. Foto: Luís Paulo.

Reencontro da turma do curso de Agronomia, desde a formatura em julho de 1981, realizada há 36 anos. Foto: Luís Paulo.

A alegria e a emoção de reviver um passado ainda vivo na mente e no coração de diversas pessoas. Estes foram alguns dos sentimentos envolvidos para o reencontro da turma do curso de Agronomia, desde a formatura em julho de 1981, realizada há 36 anos.

Quinze ex-alunos e seis ex-professores da classe se reuniram, nesta sexta-feira (12), para um reencontro especial na UEMA, que iniciou com um culto ecumênico, feito para celebrar e consagrar a harmonia vivida pela turma há mais de 30 anos.

“Toda a turma foi bastante receptiva e todos queriam se rever e homenagear esse tempo de formado. A convivência e os momentos bons que tivemos e nos marcaram fez com que surgisse essa vontade [de se reunir]. Foi uma turma unida, com várias histórias lindas”, comentou a engenheira agrônoma Heloisa Helena Costa e Silva, uma das organizadoras do reencontro da turma.

Entre as histórias lindas vividas pela turma, está, inclusive, o seu casamento: ela começou a namorar o seu hoje marido, o também engenheiro agrônomo Luís Tadeu Nunes e Silva, no último ano do curso.

Reencontro contou com o plantio de dez mudas de Pau Brasil. Foto: Luís Paulo.

Reencontro contou com o plantio de dez mudas de Pau Brasil. Foto: Luís Paulo.

“Começamos a namorar no último período do curso. Foi no bondinho, que nos transportava do ponto central do ônibus ao centro do curso de agronomia, que a nossa história se desenhava. Atualmente, celebramos 37 anos juntos, sendo três de namoro e 34 de casados”, acrescentou Heloisa Helena.

A turma foi iniciada em 1977, na Escola de Agronomia do Maranhão (EAM), na então Cidade Universitária Paulo IV. Memórias desta época foram compartilhadas por todos os ex-alunos presentes, que lembraram das viagens, dos trotes e das trocas de carinho e amizade sinceras.

“Essas lembranças este reencontro, é tudo emocionante. Dei aula pra eles há mais de 30 anos e eles ainda lembram da gente. Não tem dinheiro que pague este carinho. É gratificante ver o sucesso deles e a contribuição destes hoje profissionais para o futuro do Maranhão”, comentou Gilson Soares da Silva, engenheiro agrônomo, ex-professor desta turma e docente aposentado da UEMA.

O reencontro contou, ainda, com dois grandes momentos: a inauguração da placa em homenagem à turma de 1977 e, ainda, o plantio de dez mudas de pau brasil ao redor do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UEMA – ato este que será repetido anualmente, como oportunidades para novos reencontros da turma.

“Este projeto do plantio de pau brasil ao redor do CCA é uma maneira de mostrar que quando chegamos no mundo, ele já tinha arvores. Nós vamos partir do mundo e deixar o nosso legado. O legado é uma arvore para as futuras gerações. É mostrar que temos que devolver para a nossa universidade um pouco do nosso conhecimento”, concluiu o engenheiro agrônomo Luís Tadeu Nunes e Silva.

 

Por Gustavo Sampaio.

Fotos por Luís Paulo.

Compartilhar.