Estudante da Uema adquire experiência e destaque profissional no exterior


Por em 3 de maio de 2013



 

João Luis de Meneses Barros é estudante do curso de Engenharia da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e foi um dos dois estudantes brasileiros contemplados com uma bolsa de intercâmbio pelo Programa Ciência Sem Fronteiras. O programa, que é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

Atualmente, o estudante maranhense reside na Coréia e pertence à Divisão de Engenharia Mecânica da Hanyang University (HYU), um dos cursos com maior desenvolvimento tecnológico do país. A experiência profissional do jovem já se torna uma realidade com a oportunidade de estágio oferecido pela empresa parceira STX Corporation, sendo alocado na Machinery and Power Plant Division. O estágio contou, como campo de atuação, as estratégias de mercado, especialmente nos setores de máquinas pesadas e usinas de geração de energia movidas a diesel, além de análise de viabilidade de projetos.

De acordo com João Luis, as duas primeiras semanas de trabalho envolveram contato com clientes e análise de mercados emergentes, que fazem uso de máquinas pesadas, especialmente guindastes de alta capacidade. “Na Divisão de Energia, auxiliei na descrição do atual cenário energético do Brasil, bem como na adaptação dos portfólios para nosso idioma. Também fiquei incumbido de analisar relatórios técnicos de alguns projetos de engenharia, como de estaleiros, por exemplo, uma vez que minha formação acadêmica tem íntima ligação com projetos desta natureza”, explica João Luis.

O estudante comenta, ainda, que esta foi uma oportunidade de conhecer mais sobre o próprio país, uma vez que a empresa possui planos estratégicos para o Brasil. “A oportunidade de estágio numa empresa coreana como a STX me proporcionou uma nova visão de mercado, tanto internacional quanto do meu próprio país. Na empresa, os negócios são fechados muito rapidamente, requerendo grande atenção às demandas dos países em crescimento. Meus superiores me inseriram desde à primeira semana nesta realidade, me trataram como um verdadeiro membro da equipe, o que foi decisivo para o desenvolvimento de um trabalho bastante satisfatório”, descreve o estudante sua experiência no campo de estágio.

O Programa Ciência Sem Fronteiras prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágios no exterior, com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. A iniciativa é fruto de esforços conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

Para mais informações sobre o programa Ciência Sem Fronteiras, de como participar e dos demais serviços oferecidos como o curso gratuito My English Online, realizado pela Capes/MEC, que contempla desde o nível mais básico até os níveis mais avançados, preparando o estudante para os exames de língua inglesa solicitados para admissão em instituições acadêmicas no exterior, clique aqui.

STX NO BRASIL

Líder no Brasil em construção e reparo de embarcações especializadas de apoio marítimo desde 1996, a STX Brasil Offshore já possui encomendas e projetos que atingem a capacidade máxima de operações até 2016. O primeiro estaleiro no Brasil possui aproximadamente 1.600 funcionários e está estrategicamente localizado na Ilha da Conceição, no Rio de Janeiro, cobrindo uma área de 170 mil m². Por causa da grande demanda, fez-se necessário especular novas áreas para a construção de um novo estaleiro, sendo o Porto de Suape – em Recife, no Nordeste do Brasil – o local escolhido para a instalação.

De acordo com o presidente do STX OSV Promar, Miro Arantes, o investimento no novo estaleiro foi de R$ 300 milhões e terá início das operações em junho de 2013. Já existem oito navios encomendados pela Transpetro (com investimento na ordem de R$ 919 milhões). O primeiro navio construído pelo STX Promar será entregue a Transpetro para início de operações em 2014. Para atender todas as exigências, esse projeto previu a geração de 10 mil empregos.



Últimas Postagens - Array /