Terceiro dia do Seminário PPBio discute sobre conservação na Reserva Biológica do Gurupi


Por em 13 de dezembro de 2013



No terceiro dia de programação do VI Seminário do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio), iniciada terça-feira (10), as discussões sobre o meio ambiente continuaram por meio de painéis, palestras, exposição e mesas redondas.

Esta última, debateu sobre a temática “Unidades de Conservação na Amazônia do arco do desmatamento  – Estudo de caso da Reserva Biológica do Gurupi (ReBio): ameaças e desafios”, e contou com a participação de palestrantes, que abordaram sobre conservação, legislação, dentre outros aspectos relacionados a essa localidade.

Dentre os palestrantes, o professor do Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC), Francisco Limeira, esteve presente para explanar sobre sua pesquisa na área de entomologia. O seu trabalho, direcionado ao estudo e catalogação de insetos teve início no ano de 1996, a partir da necessidade de identificar espécies presentes no Estado do Maranhão.

“O objetivo é ter uma coleção que seja referência da nossa fauna. Do material coletado desde o início da pesquisa até o ano de 2011, nosso material era exclusivamente maranhense. De 2012 para cá, já estamos extrapolando fronteiras, com trabalhos no Piauí e Ceará. Estamos ampliando nossa amostra na coleção para, quem sabe, abranger todo o nordeste”, destaca o pesquisador, que já identificou e catalogou cerca de 13 mil espécies e coletou cerca de 150 mil espécimes na ReBio-Gurupi.

O acervo, denominado Coleção Zoológica do Maranhão (CZMA), está localizado no município de Caxias, e recebe visitas de pesquisadores da área e da comunidade, em especial, alunos da educação básica, que encontram na coleção científica uma oportunidade de conhecer mais sobre a biodiversidade maranhense.

Outros palestrantes, como a analista ambiental, Eloísa Neves; a educadora ambiental, Ana Lourdes Ribeiro; o conselheiro da ReBio-Gurupi Ataíde Abreu da Silva; e a professora Jane Cavalcante, suplente da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), enriqueceram o debate, a partir de pesquisas realizadas acerca da ReBio-Gurupi.

De acordo com Marlúcia Bonifácio Martins, coordenadora da Rede PPBio-Amazônia Oriental, a realização dos seminários do Programa tem o objetivo de esclarecer à sociedade sobre as questões ambientais, baseado nos estudos científicos realizados pelos pesquisadores que compõem a Rede.

“O PPBio é um Programa de Pesquisa em Biodiversidade, por meio do qual identificamos a ocorrência de espécies de animais e vegetais, para entender como é distribuída a biodiversidade na Amazônia. Desse modo, é possível discutir e tomar decisões sobre desenvolvimento, já que está interligado à questão ambiental. O debate sobre preservação não está desvinculado do dia a dia do cidadão, do crescimento econômico, da geração de emprego e renda”, explica a coordenadora, destacando a importância do esclarecimento acerca do meio ambiente e de sua preservação para a promoção do desenvolvimento saudável e sustentável.

Criado em 2004, o PPBio visa intensificar os estudos sobre a biodiversidade no Brasil e, atualmente, possui seis núcleos regionais na Amazônia Oriental, que inclui os estados do Maranhão, Pará, Amapá, Tocantins e Mato Grosso. Os seminários da Rede são realizados anualmente, como forma de apresentar os resultados do Programa e estimular o debate com a comunidade.

O VI Seminário do PPBio encerra-se hoje (13), com apresentação de painéis e palestras.

 



Últimas Postagens - Array /