Professora do Cesc defende tese sobre diversidade genética do HIV-1


Por em 14 de fevereiro de 2014



A professora Maria Edileuza Soares Moura, do Centro de Estudos Superiores de Caxias (Cesc), elaborou uma pesquisa que estuda a “Resistência transmitida a antirretrovirais e diversidade genética do HIV-1 em pacientes dos estados do Maranhão e do Piauí”. A tese foi elaborada durante o Programa de Doutorado Interinstitucional (DINTER) em Medicina Tropical, firmado entre a Universidade Estadual do Maranhão e a Universidade Federal de Goiás.

O estudo objetivou avaliar a prevalência de resistência transmitida a antirretrovirais e caracterizar a diversidade genética do HIV-1 em pacientes virgens de tratamento dos estados do Maranhão e do Piauí.

Os resultados mostraram níveis moderados de resistência transmitida a antirretrovirais nestes dois estados, sendo observado um alto nível de resistência à classe dos inibidores da transcriptase reversa não análogos a nucleosídeos e baixo nível de resistência à classe dos inibidores da protease.

A recomendação do estudo foi o monitoramento de resistência transmitida a antirretrovirais, especialmente entre homens que tem sexo HIV positivos no nordeste do Brasil.

A pesquisadora Maria Edileuza foi a primeira aluna do DINTER em Medicina Tropical de Caxias a defender a tese no Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal de Goiás.

 

 



Últimas Postagens - Array /