Professora da Uema defende Tese na UFRJ


Por em 4 de agosto de 2014



A professora Sílvia Furtado, do departamento de Letras, do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais da Universidade Estadual do Maranhão (Cecen/Uema), defendeu a Tese intitulada “Marguerite Duras: no ravinamento da escrita”, na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A banca examinadora foi composta pela professora Flávia Trocoli (orientadora) que a presidiu e pelas professoras Cláudia Lemos, Flora Di Paoli Faria, Ana Alencar e Matha Alkimin. Segundo a banca, “[…] o trabalho foi apresentado com precisão, dando forma ao difícil encontro entre a Literatura e a Psicanálise”.  

A professora Sílvia Furtado obteve o título de Doutora em Ciência da Literatura o que aumenta para cinco o número de doutores em Ciência da Literatura que integram o departamento de Letras da Uema.  Esse número, até o mês de setembro, será de dez, pois mais cinco professores concluem doutorado em Ciência da Literatura agora no segundo semestre de 2014.

Sílvia Furtado, discorrendo acerca da Tese Marguerite Duras: no ravinamento da escrita, diz que os romances de Duras, abordados na pesquisa, problematizam questões caras à Literatura como a do narrador, do autor, do autoficcional que convocam a pensar sobre a escrita. Os romances e roteiros de teatro, produzidos em épocas distintas, destacando-se dentre eles, Barragem contra o Pacífico (1950), O amante (1984), Desruir, diz ela (1969), O arrebatamento de Lol V. Stein (1965) e O vice-cônsul (1964) trazem uma linguagem hermética e impossível de ser acessada pelo entendimento. 



Últimas Postagens - Array /