Uema e Ministério Público certificam alunos do Curso de Pós-Graduação em Ciências Criminais


Por em 7 de setembro de 2014



A Universidade Estadual do Maranhão (Uema) participou, na manhã dessa sexta-feira (5), da solenidade de certificação do Curso de Pós-Graduação em Ciências Criminais, que aconteceu no auditório do Veleiros Mar Hotel, na Ponta D’Areia.

O Curso, que teve duração de três anos, com uma carga-horária de 414 horas, foi fruto de uma parceria entre a Uema e o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPE), e certificou 20 profissionais, entre promotores, assessores jurídicos e servidores do MPE.

Fizeram parte da mesa de honra o reitor José Augusto Silva Oliveira; a procuradora Geral de Justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha; a diretora da Escola Superior do Ministério Público, Ana Tereza Silva de Freitas; o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Uema, Porfírio Candanedo Guerra; a coordenadora da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Uema, Maria Cristiane Pestana; o diretor geral da Procuradoria, Luís Gonzaga Martins Coelho; e o procurador de Justiça, Daniel Ribeiro da Silva.

Na oportunidade, o reitor fez elogios aos alunos e destacou o papel da universidade em levar o conhecimento além de seus muros.  “É um grande prazer, para a Universidade Estadual do Maranhão, ter estabelecido essa parceria com o Ministério Público. A Uema é uma universidade do estado e precisa estar a serviço dele. Ela tem a missão de formar profissionais em diversas áreas do conhecimento. A universidade se coloca à disposição para continuar com esta parceria, refirmando o compromisso da instituição com a sociedade, o estado e os entes públicos, contribuindo na construção de uma sociedade melhor”, pontuou o gestor.

A diretora da Escola Superior do Ministério Público, Ana Tereza Silva de Freitas, explicou que o Curso objetivou levantar uma postura crítica sobre as ciências criminais, trabalhando disciplinas com professores de renome nacional durante três anos.

“A especialização credencia os alunos a ministrar aulas, a integrar o corpo docente, e contribuir, de alguma forma, em outras atividades, mas ela também visa incentivar os alunos à pesquisa. A partir do momento que nós permitimos aos alunos abrir a mente para a pesquisa, há um ganho muito grande. Essa Pós-Graduação em Ciências Criminais buscou dar uma postura mais crítica, mais aberta, ver a ciência criminal em um contexto maior”, enfatizou.

Para o assessor Jurídico Hoendel Falcão Pereira Júnior, um dos 20 alunos do programa, o curso foi uma oportunidade de integrar a temática da área criminal à realidade social. “Durante o curso pudemos aprender e depreender que a questão da criminalidade não está restrita e não será solucionada apenas com o encarceramento. O problema vai além, envolve questões de políticas públicas tanto educacional como das mais diversas áreas para tentar diminuir a criminalidade”, destacou.



Últimas Postagens - Array /