Palestras e oficinas marcam “Reggae em Debate” no Campus Paulo VI


Por em 17 de novembro de 2015



DSCN6593Ontem (16), no auditório do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), aconteceu o “Reggae em Debate”, evento promovido pela Coordenação do Curso de Administração, a Empresa Júnior de Administração e o Diretório Acadêmico Bandeira Tribuzi da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), em parceria com a Comissão Integrada do Reggae e Turismo de São Luís (CIRT).

Várias atividades integraram a programação do evento, que contemplou o conhecimento de aspectos sociais, culturais, turísticos, políticos e econômicos relacionados ao movimento Reggae, na perspectiva de consolidá-lo e fortalecer sua identidade, valorizando sua importância na composição da diversidade cultural e da oferta turística da cidade.

A abertura foi realizada pela coordenadora do Curso de Administração da UEMA, Graça Mendes, que falou da satisfação em propagar o movimento dentro da Universidade.

“É um trabalho de grande valor e é bem-vindo porque tem tudo a ver com a forma estratégica que o Curso de Administração prega nas suas competências e habilidades, ofertando disciplinas sobre gestão estratégica de produção, de pessoas e de marketing”, comentou.

DSCN6690O membro do CIRT na categoria pesquisador e professor da UEMA, Fábio Abreu, explicou que o CIRT pretende levar a discussão da temática para as universidades, escolas, associações, conselhos e outros espaços.

“Pretendemos quebrar as concepções negativas sobre o reggae. Como dizia Bob Marley ‘só conhece o reggae quem o sente’, mas para sentir é preciso conhecer. Para as pessoas da área de administração entender mais sobre o movimento reggae é interessante, dentre outras coisas, porque é um grande negócio, já que incentiva o turismo na cidade. Saber a linguagem e as características do movimento contribui até para a gestão de marketing do negócio”, ressaltou.DSCN6648

A Palestra de abertura foi ministrada pelo jornalista e DJ, Ademar Danilo, que falou sobre “Aspectos Históricos do Reggae em São Luís”. De acordo com o palestrante, que já esteve nove vezes na Jamaica, a história do reggae no Maranhão é muito rica e não tem uma explicação precisa. Ele pontuou o período de produção musical daquele país que ainda permeia a cultura do reggae no Maranhão, também traçou a diferença entre o reggae roots e o eletrônico, além de responder aos questionamentos dos participantes.DSCN6633

Após a palestra de abertura, a programação seguiu com os palestrantes Marcus Ramusyo Brasil, José de Ribamar Sousa e Fábio Abreu. No hall do CCSA, também acontecia oficina de trança, oficina de dança e sequência musical com DJs.

 

 

DSCN6732

 

 

 Por: Débora Souza



Últimas Postagens - Array / noticias-uema