Fase final do 1º Festival Maranhense de Conto e Poesia acontece no Campus Paulo VI


Por em 7 de dezembro de 2015



12357967_10205423228204810_816416392_n (1)Aconteceu sexta-feira (4), no Campus Paulo VI da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), a final do 1º Festival Maranhense de Conto e Poesia (FESTMACPO), promovido por meio da Divisão de Assuntos Culturais da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (DAC/PROEXAE/UEMA).

O evento, que também homenageou os escritores maranhenses Nauro Machado e Artur Azevedo, teve como objetivo estimular o gosto e o prazer da reflexão, mediante a palavra escrita e falada.

Na fase final, foram 15 poesias avaliadas por uma comissão formada pelos professores Graça Neri, Dinacy Corrêa, José Henrique Macedo, Helder Pereira e Marcos; também pelo poeta e compositor Paulinho Dimaré; o ator de teatro e cinema, Auro Juriciê; o poeta Joaquim Vila Neto; e o acadêmico da Academia Maranhense de Letras, Américo Azevedo Neto.

A competição poética foi tão acirrada que os participantes Valéria Correia, Geane Martins e Moisés Abílio, autores das poesias “Sobre Part-idas”, “Espero” e “Artesão das Letras”, dividiram a terceira posição.

O segundo lugar foi de Paulo Roberto Paixão, autora da poesia “Receita poética”. E o primeiro lugar ficou com o caxiense Francisco de Assis Carvalho da Silva Junior, que recitou “Clarão”.

Já na categoria contos, os vencedores foram: Giniomar Ferreira Almeida, em terceiro lugar, com o conto “Banho matinal de mestre Hiran”; Yara Segunda P.França, autora do conto “Lado a lado”, na segunda posição; e, em primeiro lugar, o conto “Poeira do tempo”, escrito pelo morador do município de São José de Ribamar, Eliseu Oliveira Cardoso.

Para o pró-reitor de Extensão e Assuntos Estudantis, Porfírio Candanedo Guerra, é motivo de contentamento o pioneirismo na realização desse tipo de movimento cultural na Universidade. “Já estamos pensando em ampliar esse trabalho para outros campi da UEMA onde há intensa produção literária”, declarou.

De acordo com o coordenador do FESTMACPO, Paulo Bertholdo, houve uma participação expressiva no evento que superou as expectativas, inclusive com inscritos do interior do Maranhão e de outros estados.

“O grande diferencial do Festival realizado pela UEMA é a possibilidade de uma pessoa de qualquer lugar do país participar já que as poesias podem ser declamadas por gente da plateia e jurados. O fato da pessoa não estar presente não invalida sua inscrição, o mais importante é a produção literária”, comentou.

Neste 1º FESTMACPO, ao todo, foram inscritos 33 poesias e 10 contos.

Leia a poesia vencedora “Clarão”

a fome – ave de rapina –

fita o que nos desalimenta,

cada farelo que nos consome:

os ásperos grãos

de pão,

de guerras,

de prêmios,

de dinheiro,

de poder…

caberia tudo

num só clarão de espanto ou

num bater de asas sovinas?

a fome, de modo inclemente,

mata com pílulas de culpa,

de exílios e silêncios cortantes!

um sonho de capa de jornal:

em fase de inapetência e autoflagelo,

a fome suicida-se,

com uma garfada,

no fundo da vasilha

em que jantava vazios.

Autor: Francisco de Assis Carvalho da Silva Junior

A relação completa dos vencedores e as produções literárias estão disponíveis no site da PROEXAE. Acesse http://www.proexae.uema.br/2015/12/relacao-dos-vencedores-no-1o-festival-maranhense-de-conto-e-poesiafestmacpo/

Por: Débora Souza



Últimas Postagens - Array / noticias-uema