UEMA realiza workshop do Centro Virtual de Articulação de Pesquisa sobre nitrogênio na agricultura


Por em 25 de abril de 2018



Teve início na manhã desta terça-feira (24), na Universidade Estadual do Maranhão, o Workshop do NUCLEUS, Centro Virtual de Pesquisa sobre Nitrogênio na Agricultura.

IMG_0007

(Foto: Edson Costa / ASCOM)

 O projeto NUCLEUS foi criado a partir da parceria entre Reino Unido e o Brasil, por meio de universidades, instituições e centros de pesquisa. Tem como objetivo produzir conhecimento para aperfeiçoar o uso de nitrogênio agrícola aumentando assim os rendimentos e reduzindo as perdas para o meio ambiente.

Participam do projeto 8 instituições nacionais e 4  do Reino Unido. No Maranhão, o projeto está sob coordenação do professor do Curso de Pós-Graduação em Agroecologia, da UEMA, Emanoel Gomes de Moura e conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA).

Segundo o Coordenador do Projeto Nucleus no Maranhão, Emanuel Gomes de Moura – o evento possibilita a troca de experiências entre as instituições. “Essa reunião de trabalho dos grupos de pesquisadores que compõem o NUCLEUS, tem como objetivo fazer uma atualização sobre os avanços no projeto, apresentar os resultados já obtidos, quais as perspectivas de novas parcerias, além de consolidar as já existentes. Além disso, iremos visitar vários experimentos pelo estado, onde os pesquisadores vão verificar quais os nossos objetivos, os pontos em comum, as dificuldades, entre outros pontos. É uma grande troca de experiência na área científica”, afirmou o coordenador.

IMG_0014

(Foto: Edson Costa / ASCOM)

De acordo com o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, eventos como esse permitem pensar a pesquisa a partir das relações com as outras universidades. “O mais interessante nesse processo é que mudamos o patamar das relações internacionais, uma vez que não atuamos apenas como pesquisadores em busca de conhecimento de outras instituições, pois a nossa parceria é construída a partir das pesquisas realizadas em todas as instituições, em processos coletivos. Assim, esse processo de aproximação faz com que possamos participar de maneira multilateral, por isso a pesquisa sai ganhando e o desenvolvimento cientifico ganha novos espaços, novos horizontes”, disse Alex.

Para o Coordenador Nacional do NUCLEUS, Ciro Nosolem, o projeto é inovador, em vários sentidos e sua importância vai além do estreitamento das relações com instituições estrangeiras. “Nós aprendemos muito com eles, a universidade estrangeira mais nova que a gente tem parceria na Inglaterra tem 500 anos, então temos muito o que aprender, e a experiência tem sido fantástica, inclusive de amadurecimento. Outro fato importante é que oportunizamos que os alunos da graduação participem dessa experiência tão rica.  As entidades brasileiras têm muito a ganhar com esse projeto e com esses workshop”, destacou Nosolem.

Segundo o reitor da UEMA, Gustavo Pereira da Costa, sediar um evento desse porte é uma prova inequívoca do forte trabalho de internacionalização feito na Universidade. “O workshop reforça o que a universidade tem exercitado nos últimos anos no sentido de se aproximar de países amigos, instituições parceiras, formando redes de pesquisadores, identificando interesses mútuos em pesquisa e que efetivamente possam dar consequência objetiva aos nossos acordos de cooperação. O projeto tem um protagonismo dos nossos pesquisadores e dos nossos alunos, que são capazes por meio de suas pesquisas, estabelecer essa grande rede de cooperação internacional”, disse.

(Foto: Edson Costa / ASCOM)

(Foto: Edson Costa / ASCOM)

Para o reitor, a reunião do NECLEUS coloca na agenda de pesquisa temas que são estimados na Universidade. “Estes espaços colocam em pauta assuntos que são caros a UEMA, pois é uma área que a nossa Universidade é muito forte, que é área da agroecologia, da agricultura, da sustentabilidade. Então poder trazer esse debate para nossa instituição e colocar à disposição da nossa comunidade é uma conquista, é um marco e devemos não só exaltar, mas aproveitar a experiência para replicar em outras circunstâncias”, afirmou o reitor.

Estiveram presentes ainda na abertura do workshop, o vice-reitor, Walter Canales Sant’ana, o superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), George Aragão, a diretora do Centro de Ciências Agrárias, Francisca Neide, o assessor para Relações Internacionais da UEMA, Thales Passos de Andrade, pesquisadores das instituições do Reino Unido e de outras instituições nacionais, além de professores e alunos envolvidos no projeto.

O evento será realizado até dia 27 e a programação conta com discussões de grupos de trabalho sobre os resultados e experiências do NUCLEO, além de visitas a experimentos no Campus Paulo VI e em outras cidades do Estado.

 

 



Últimas Postagens - Array / noticias-uema