CESC UEMA completa 51 anos de atividades


Por em 25 de fevereiro de 2019



campus caxiasNo último dia 23 de fevereiro, o Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC), da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), completou 51 anos de fundação. Atualmente, a Instituição oferta 13 cursos de graduação, sendo 11 Licenciaturas e 2 Bacharelados, em diversas modalidades, e um programa de pós-graduação com curso de mestrado.

Sua história começa com a Faculdade de Formação de Professores do Ensino Médio (FFPEM). Criada pela Lei 2.821, de 1968, com a finalidade de formar professores em cursos de licenciatura para lecionar no primeiro ciclo do ensino secundário, ela só passou a funcionar em 1970.

O professor Roldão Ribeiro Barbosa comenta sobre esse período: “A criação do CESC/UEMA foi de alta relevância para o Estado do Maranhão, principalmente para a região interiorana. Naquele momento faltavam profissionais na área de educação e nas outras áreas. A demanda era muito grande. Nossos professores tinham apenas o Ensino Médio”.

O presidente do DCE, Adão da Silva Severino, se posicionou sobre a data. “Se compararmos o antes e depois, notamos a melhoria, não somente na infraestrutura, mas também no ensino, com o aumento na quantidade de professores doutores e mestres. Houve aumento significativo na quantidade de bolsas, de professores pesquisando, de laboratórios e isso dá mais oportunidade aos alunos”, disse ele.

A professora Valquíria Araújo Fernandes de Oliveira foi uma das primeiras a desempenhar atividades na faculdade. “É uma instituição que veio para ficar. No início sofremos muito, pois a maioria dos alunos era de Teresina, que valorizavam mais os cursos que o pessoal de Caxias. Com o tempo ou a Faculdade descia o morro ou a sociedade subia o morro para se abraçarem. Além de ter formado vários professores que não podiam sair de Caxias, eles conseguiram formar vários alunos que terminaram o Ensino Médio. Isso foi de um valor social muito grande. Foi a primeira Faculdade, que deu bons frutos. Hoje ela está repleta de mestres e doutores que são a prata da casa”, destacou a professora.

Quem vivenciou os primeiros anos de atuação da Instituição foi a servidora Maria de Fátima Gomes Pereira. Com 45 anos de serviços prestados, continua colaborando com a UEMA. “Tenho uma vida aqui. Cheguei em 1973 para trabalhar na Biblioteca, que era bem pequena. Vi a trajetória de vários professores – muitos estão de volta como doutores. Participei da evolução do CESC/UEMA e tenho orgulho de estar aqui”, emocionou-se ela.

O presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, Desembargador Arthur Almada Lima Filho, também acompanhou o processo de estabelecimento da instituição. “Na época havia um planejamento do governo para criar um colégio por dia, um ginásio por mês e uma faculdade por ano. Necessitava-se de uma formação para os professores do Maranhão e foi criada uma faculdade de preparação, através de um convênio com a Universidade de São Paulo, após tentativas frustradas com a Universidade Federal do Maranhão e a do Piauí”, explicou.

Ele, ainda, falou da atuação da Federação das Escolas Superiores do Maranhão (FESM), instituída em 1972 pela Lei 3.260 para coordenar as instituições de Ensino Superior no Estado: “Eu era presidente da FESM, que envolvia Engenharia Mecânica, Veterinária, Agronomia. Mas, a Faculdade de Caxias não pertencia à Federação. No governo de Freire foi feita uma solicitação dos professores de Caxias para que ela fosse incorporada. Daí ela teve uma outra dimensão, porque passou a trabalhar juntamente com as demais unidades superiores do Maranhão. A cidade tem professores formados e cursos criados depois da planificação dos cursos. A Faculdade contribuiu para que se formasse depois a Universidade Estadual do Maranhão”.

Em 1981, através da Lei 4.400, a FESM é transformada em Universidade Estadual do Maranhão e a Faculdade de Educação de Caxias passou a ser Unidade de Estudos de Educação de Caxias (UEEC). Entre os anos de 1993/1994, por força das Leis 5.921 e 5.931, houve a reforma administrativa da UEMA e ocorreu a alteração no nome da Unidade para Centro de Estudos Superiores de Caxias (CESC). Na nova fachada pode ser vista a atual denominação: CAMPUS CAXIAS.

 De acordo com a professora Diretora do Campus, Jordânia Maria Pessoa, a lei possibilitou a formação de professores. “Ao longo desses anos o CESC foi das licenciaturas curtas às licenciaturas plenas. Depois adentramos ao bacharelado. Nós temos hoje também a Educação a Distância. O CESC/UEMA hoje tem pós-graduação, tanto a nível de especialização como de mestrado, além de outros projetos na CAPS, para serem aprovados, de mais pós-graduação a nível de mestrado”, realçou a diretora.

São mais de 200 profissionais no corpo docente, entre professores seletivos e efetivados; e mais de 1.800 alunos regularmente matriculados. O Campus do CESC, que antes era pequeno, hoje tem uma estrutura grande e já é considerado o 2º maior da UEMA. No final de 2018, o Campus recebeu novas melhorias, como o novo Herbário, novo Laboratório Lúdico-Pedagógico e a liberação de vagas para concursos para novos professores, bem como uma nova fachada.



Últimas Postagens - Array / noticias-uema