UEMA engajada na luta pelo fim da violência contra mulher


Por em 19 de março de 2019



MULHERES

Nos últimos tempos, o Brasil tem presenciado atos de comoção pública em prol do fim da violência contra a mulher e a transformação de nomes de vítimas, como Mariele Franco, em símbolos de resistência. Esses sinais podem demonstrar, segundo o documento Atlas da Violência (2018) , que atos criminosos contra a mulher estão deixando de ser naturalizada no país.

De acordo com o relatório, em 2016, 4.645 mulheres foram assassinadas no país, o que representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, observa-se um aumento de 6,4%. Embora não estejam entre os estados com as maiores taxas, quando se considera a década, Rio Grande do Norte e Maranhão tiveram os maiores aumentos. O Estado do Maranhão, infelizmente, registrou o maior aumento percentual no número de homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes na última década analisada: 114,9% entre 2006 e 2016, segundo o Atlas da Violência de 2018.

Diante desse cenário alarmante, representantes da Universidade Estadual do Maranhão, da Universidade Federal do Maranhão, do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Polícias Civil e Militar, da Defensoria Pública Estadual, das Secretarias Estaduais e Municipais da Saúde, Assistência e Educação do Maranhão, das equipes maranhenses que atendem a mulher doméstica ou familiarmente violentadas e da Secretaria da Mulher, reuniram-se, durante quatro meses no ano de 2018, para debater novos caminhos que possam definir maior efetividade no que concerne a aplicação da Lei Maria da Penha no Maranhão, visando principalmente baixar os indicadores deste tipo de violência no Estado.

Foram mais de 420 horas de reuniões presenciais, nas quais, os grupos de trabalho interinstitucionais, elaboraram 442 propostas com o objetivo de reforçar políticas estaduais, mobilizar a sociedade e gestores para a causa da mulher vítima de violência doméstica e/ ou intrafamiliar e por mais igualdade entre os gêneros. A representante da UEMA nas reuniões do projeto foi a Diretora do Curso de Formação de Oficiais – Polícia Militar, Vera Lúcia dos Santos.

O trabalho é resultado de Decreto Estadual 33893/2018 assinado no dia 8 de março de 2018, no Maranhão. O objetivo desses profissionais foi justamente criar mecanismos de enfrentamento para mudar essa realidade, considerada pela ONU a maior pandemia do século XXI.

A equipe multidisciplinar desenvolveu, como resultado do trabalho, dois livros e uma série documental de vídeos chamada MULHERES VIVENDO SEM VIOLÊNCIA. Ambos os produtos foram produzidos na UEMA, por meio do Núcleo de Tecnologia da Educação (UemaNet).

De acordo com a coordenadora do UemaNet, Ilka Serra, por meio desse projeto, a UEMA cumpre sua missão social, além de ter a possibilidade de mostrar à sociedade sua expertise, por meio do UemaNet, no que diz respeito aos processos inovadores de democratização do acesso ao conhecimento, via uso das tecnologias digitais. “O desenvolvimento desse documentário e de tantos outros projetos em colaboração com outras instituições, permitem que a UEMA seja reconhecida como uma universidade que faz uma educação contemporânea. A Instituição assumiu um papel junto à sociedade de tornar os conhecimentos gerados na universidade, ou em cooperação com outras instituições, aberto e acessível a todos”, sublinhou.

Livros

O livro 1, “Novos paradigmas a serem considerados “, reúne os artigos acadêmicos que embasaram teoricamente as discussões dos Grupos de Trabalho. O livro 2, “Manual de Proposituras Interinstitucionais “, apresenta as propostas elaboradas pelos Grupos de Trabalho no Maranhão e comentários de autores de vários estados brasileiros.

Série Documental

Já a série, dirigida e produzida pela UEMA, por meio do Núcleo de Tecnologias para Educação (UemaNet), conta com a narração de vozes maranhenses conhecidas como Zeca Baleiro, Gisa Franco, Mônica Moreira Lima, Robson Junior e Adalberto Melo, será dividida em sete episódios:

EPISÓDIO 1 – PELO FIM DA VIOLÊNCIA ( No ar, confira aqui )

EPISÓDIO 2 – ATENTANDO PARA A VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL ( No ar, confira aqui )

EPISÓDIO 3 – OS VÁRIOS TIPOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER (Aguarde, lançamento em breve)

EPISÓDIO 4 – A VIOLÊNCIA DE GÊNERO NO ÂMBITO DOMÉSTICO (Aguarde, lançamento em breve)

EPISÓDIO 5 – PORNOGRAFIA DE VINGANÇA (Aguarde, lançamento em breve)

EPISÓDIO 6 – INTERFACES ENTRE A LEI MARIA DA PENHA, O NOVO CPC, O ECA E O ESTATUTO DO IDOSO (Aguarde, lançamento em breve)

EPISÓDIO 7 – VULNERABILIDADES ESPECÍFICAS DA MULHER DOMÉSTICA E FAMILIARMENTE VIOLENTADA (Aguarde, lançamento em breve)

Por: Walline Alves

Informações: Blog Mulheres Vivendo Sem Violência



Últimas Postagens - Array / noticias-uema