UEMA recepciona cerimônia de lançamento da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa


Por em 9 de maio de 2019



IMG_0638A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) recebeu, nesta quinta (09/05), a cerimônia de lançamento da I Etapa 2019 da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa no Estado do Maranhão, que acontece de 01 a 31 de maio. A meta é imunizar mais de oito milhões de bovinos e bubalinos em todo o estado.

“Uma medida importante para a economia da agropecuária, principalmente em relação a saúde animal e a possibilidade de alcançarmos o mercado internacional, com nosso rebanho livre da febre aftosa. E é muito importante também esse evento ter acontecido na UEMA em razão da área de Ciências Agrárias ser muito forte e notadamente Medicina Veterinária e Zootecnia”, disse o Reitor da UEMA, Gustavo Costa.

De acordo com o Vice-Governador, Carlos Brandão, “A meta do Governo do Estado é ultrapassar os 97% de vacinação alcançado no ano passado. É garantir que produtos de origens animal e vegetal cheguem aos consumidores, atendendo a padrões de qualidade e segurança higiênico-sanitário”.

Em breve, o Maranhão deve atingir o status de estado livre de febre aftosa sem vacinação. A previsão é que em 2020 esse tipo de vacina seja retirado do calendário anual.

“Uma campanha muito importante, porque nesse ano, a dosagem da vacina diminuiu e passou a ser bivalente ou conhecida como dupla viral. Esse é o terceiro passo para chegarmos ao status de livre sem vacinação. Então, a proposta é que em 2020, no segundo semestre, não tenha mais a vacinação e o Maranhão receba da Organização Mundial da Saúde Animal o status de livre da febre aftosa sem vacinação”, destacou a Presidente da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), Fabíola Ewerton.

Vacinas

Os criadores terão até o dia 31 de maio para comprarem as vacinas contra a doença em revendas autorizadas e vacinarem seus rebanhos. Mesmo quem tem apenas uma cabeça de gado está obrigado a cumprir a determinação da imunização.

Mesmo após o prazo autorizado para vacinação, os criadores ainda terão 15 dias para comprovar a vacinação do rebanho em um escritório da AGED onde sua propriedade está cadastrada. O que pode evitar sanções e multas.

Por Paula Lima



Últimas Postagens - Array / noticias-uema