UEMA reúne com entidades e empresários da área da construção civil

IMG_3662A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e a Empresa Maranhão Parcerias (MAPA), atendendo a uma necessidade do Estado, no campo da educação, reuniram, na manhã desta sexta-feira (11), na sala de reunião da Reitoria, com representantes da FIEMA, do SESI, do Sinduscon, do SENAI e empresários maranhenses, com o objetivo de firmar parcerias com o setor empresarial para a construção e reforma de prédios que atendam aos anseios da universidade na capital e no interior.

Durante a reunião, o vice-reitor, que é engenheiro civil, fez a apresentação dos prédios e espaços que precisam de investimentos em reformas e construções. A iniciativa foi muito bem recebida pelas entidades e empresários presentes à reunião.

Na verdade, o projeto apresentado pela UEMA requer a construção e reforma de 10 prédios localizados em São Luís (Centro de Convenções-Campus Paulo VI), e nos Campi de São João dos Patos, Itapecuru-Mirim, Balsas, Caxias (prédio que abriga o Curso de Medicina e Museu Histórico Natural), Santa Inês, Zé Doca, Grajaú, Presidente Dutra e Barra do Corda, com vistas na melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa e extensão.

Depois da bem-sucedida parceria com empresários na reforma do edifício João Goulart, o Governo do Estado e a Universidade Estadual acreditam que as parcerias devem continuar dando certo. “A intenção é atrair investimentos dentro de uma nova modalidade de negócio, uma atividade que conta com a capitalização do setor empresarial para a construção e reforma desses prédios e depois a  locação para a universidade, sendo que, no final, esses mesmo prédios se incorporarão à nossa estrutura definitiva”, disse o reitor Gustavo Costa. E ressaltou: “É um modelo versátil de negócio e interessante, criado em um momento de crise, mas com uma grande oportunidade”.

O professor Gustavo ainda destacou: “Estamos dialogando e esclarecendo como funciona esse negócio, que já é muito bem sucedido em outros países, no Brasil e, no Maranhão, como é o caso do edifício João Goulart. Tenho certeza que, com o apoio do Estado, na pessoa do governador Flávio Dino, da Maranhão Parcerias, e, com a pujança dessas entidades, que estão comprometidas com o desenvolvimento do nosso Estado, a parceria vai dar certo”.

De acordo com o presidente da Maranhão Parcerias, Antonio Nunes, a expectativa da reunião entre a UEMA, as entidades e os empresários, é muito boa. “Nessa reunião, estamos solicitando informações para as empresas construtoras sobre os preços no modelo BPS para depois encontramos uma eventual definição de que modelo, realmente, iremos adotar para a construção e efetivação desses prédios. Temos 30 dias para as empresas apresentarem suas propostas”, informou Nunes.

O vice-presidente da FIEMA, Benedito Mendes, explicou que é uma iniciativa muito boa, porque é importante para a universidade, para o governo do Estado, para as entidades envolvidas, para a população e para os empresários. “É um sucesso que precisamos implementar. Vamos nos reunir com os empreendedores e estudar uma metodologia adequada para fazermos uma proposta ao nosso reitor. Temos muito interesse em participar desse trabalho que, certamente, contribuirá para o desenvolvimento do Maranhão”, disse Mendes.

Para o presidente do Sinduscon, Fábio Nahuz, esta é uma grande proposição da universidade, que está inovando, no sentido de ampliar seus serviços e suas unidades. “A UEMA propôs à Federação das Indústrias e ao Sinduscon, que fomentássemos parcerias institucionais para a construção de suas novas unidades. Já tivemos um primeiro encontro em que foi nos mostrado 10 prédios para começarem as obras ainda este ano em várias localidades do Maranhão. Estamos aqui como elo entre os empresários e a universidade, onde vamos apresentar esta oportunidade de negócio”, declara Fábio.

Texto: Alcindo Barros

Fotos: Fabio Abreu

Compartilhar.