Pesquisa da UEMA sobre gato-do-mato é publicada no periódico internacional Global Ecology and Conservation

PHOTO-2020-05-22-15-56-44O artigo “A refined population and conservation assessment of the elusive and endangered northern tiger cat (Leopardus tigrinus) in its key worldwide conservation area in Brazil”,  de autoria de pesquisadores da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), foi publicado no respeitado periódico internacional Global Ecology and Conservation (https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2351989419307140?via%3Dihub).

A pesquisa, que foi coordenada pelo professor do Departamento de Biologia e dos Programas de Pós-Graduação em Ciência Animal (PPGCA/UEMA) e da Rede BIONORTE,  Tadeu Gomes de Oliveira, revela que o Parque Estadual do Mirador, localizado no Cerrado Maranhense, é a mais importante unidade de conservação mundial para sobrevivência do gato-do-mato (Leopardus tigrinus), também conhecido como “pintadinho”.

O gato-do-mato é um pequeno felino de tamanho semelhante ao de um gato-doméstico. É considerado ameaçado de extinção mundialmente na categoria “Vulnerável”. No Brasil, é a única espécie de carnívoro listada na categoria de ameaça “Em Perigo” na atual lista vermelha dos animais ameaçados de extinção.

De acordo com Tadeu Oliveira, para conservar animais ameaçados de extinção é necessário um imenso esforço de pesquisa a fim de compreender aspectos básicos relacionados a vida dessas espécies.

Em relação ao gato-do-mato, os pesquisadores utilizaram múltiplas abordagens para conhecer características relacionadas à população dessa espécie de felino e as ameaças que podem afetar sua sobrevivência no Parque Estadual do Mirador.

As descobertas relacionadas à espécie são inéditas. Uma delas trata de dimensionar o impacto causado pela presença do cachorro doméstico dentro dos limites unidade de conservação. Ficou constatada a alta transmissibilidade de doenças entre cachorros e animais silvestres, algo que ameaça a população de “pintadinhos” no Parque do Mirador.

Todos os resultados da pesquisa já estão sendo utilizados no processo de avaliação da nova lista das espécies brasileiras ameaçadas de extinção (ICMBio) e servirão para planejar ações de conservação e manejo da espécie, tanto a nível nacional (MMA/ICMBio) quanto a nível global (IUCN).

O estudo fez parte do Programa de Gestão Compartilhada do Parque Estadual do Mirador, da parceria da Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) e da Pró-Vida Brasil, depois recebeu financiamento da FAPEMA e, especialmente, do Mohamed bin ZayedSpeciesConservation Fund. Também teve apoio da Small Wild CatConservationFoudation, do Biofaces e do Instituto Pro-Carnívoros.

Além do professor Tadeu Oliveira, participaram da produção do artigo as professoras da UEMA, Elienê Araújo, do Núcleo de Geoprocessamento; e Ana Lislea Sousa, do PPGCA; o mestre em Ciência Animal, Breno Campelo Lima; Renata Pereira (PPGCA) e Lester Fox-Rosales (Universidade de Göttingen/Alemanha).

Atualmente, a pesquisa integra o Programa de Pesquisa “Gatos do Mato – Brasil”, contando com cerca de 15 pesquisadores e ações em diversas partes do país. O Programa está sob a coordenação de Tadeu G. de Oliveira,  que também é membro do Grupo de Especialistas em Felinos da IUCN (IUCN/SSC/CatSpecialistGroup).

Mais informações sobre o Programa, acesse https://www.wildcatsbrazil.com.br/.

Por Débora Souza

 

Compartilhar.