Projeto “Cine balaiada: vídeo exposição de filmes sobre relações étnico-raciais” foi realizado em Caxias

foto 3Com o intuito de promover o debate sobre as relações étnico-raciais através da exibição de filmes no Complexo Cultural da Balaiada em Caxias, o professor Reinaldo dos Santos Barroso Junior, Campus Caxias da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) realizou, entre segundo semestre de 2018 e julho de 2019, o projeto intitulado “Cine balaiada: vídeo exposição de filmes sobre relações étnico-raciais”.

O trabalho teve o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (PROEXAE) e contou com a participação dos alunos Bruno Nascimento Gonçalves, Taylon Jefferson da Silva Machado e Thalita Costa Souza do Curso de em História do Campus Caxias.

foto 5Com a compreensão da qualidade crítica de obras cinematográficas, observou-se que era possível serem utilizadas para o entendimento e diálogos acerca de discussões relevantes para a sociedade em geral, como o debate de questões étnicos-raciais. Desse modo, o projeto foi desenvolvido através de filmes e documentários que contemplassem os objetivos propostos. Pensando, ainda, em assegurar a constante movimentação de visitantes ao Memorial da Balaiada, que passou a receber mais pessoas a partir da inauguração do Complexo Cultural da Balaiada.

Para o desenvolvimento do projeto foram selecionados filmes e documentários, preocupando-se com a qualidade destes para o enriquecimento da ação final. Após a exibição, eram realizadas rodas de conversas, onde eram relacionados o conteúdo da obra exposta com as preocupações levantadas, em interação com o público atingido.

foto 6De acordo com o professor Reinaldo dos Santos Barroso Junior, em um ano de execução do projeto foram realizadas 7 exibições, atingindo aproximadamente 300 pessoas. Essas exibições ocorreram em Caxias, Aldeias Altas e São João do Soter. “Percebemos que o projeto não atingiu somente uma determinada faixa etária, mas todos que buscavam debater, a sua maneira, as marcas causas pelo racismo. O projeto despertou interesse também, nos alunos das escolas que participaram, isso só mostra que estamos no caminho certo. Através dessa iniciativa foi possível aprender com o debate e as reflexões sobre as questões raciais, por meio do cinema.

E frisou, “proporcionamos o conhecimento sobre o mundo cinematográfico, bem como, levantamos reflexões sobre os temas abordados nos filmes, criando assim um senso crítico dos telespectadores”.

Por Karla Almeida

Compartilhar.