Curso de Medicina realiza Cerimônia do Jaleco no Campus Caxias


Por em 16 de setembro de 2021



                                                                           

Nessa quarta-feira (15), 35 novos alunos da turma XIX do Curso de Medicina foram recepcionados na Cerimônia do Jaleco, realizada no Auditório Leôncio Magno, no Campus Caxias da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). O evento foi dividido em dois momentos. O primeiro, às 16h e o outro, às 19h. A medida foi adotada para que não houvesse aglomeração, como determinam as medidas sanitárias.

O professor Luciano Barros destacou: “Vocês são da turma XIX, demonstrando que o nosso curso está saindo da adolescência e chegando na fase adulta. Estou aqui praticamente desde o início desse curso, vi muitas mudanças e percebo que a Universidade vem evoluindo em vários aspectos tentando entregar o que tem de melhor. E o melhor que a UEMA tem é o material humano. Não só os professores, como os técnicos e uma série de pessoas que tentarão fazer o melhor para vocês. Mesmo nesse período de pandemia a Universidade está conseguindo exercer sua função social. Parabenizo os novos acadêmicos. Se vocês estão aqui é porque acreditam na Ciência”.

O presidente da Atlética Cangaceira, Ângelo Neres Assunção, parabenizou os aprovados e os familiares pela conquista. Citou que as funções primárias da Atlética são a prática esportiva e a inclusão. Isso é uma oportunidade para que eles cresçam como pessoas.

Helen Mendes, da turma XVI, falou representando os veteranos: “Para mim é uma honra estar aqui. Meus veteranos se tornaram para mim inspiração e grandes amigos. Neste período de pandemia é uma vitória vocês estarem aqui hoje. Ao longo desses quatro anos venho me perguntando o que faço para ser uma boa médica. Cheguei à conclusão que os professores estão certos, a Medicina não é uma ciência exata é um grande quebra-cabeças não adianta viver numa bolha. Muitas vezes você consegue ajudar um paciente sendo apenas um ombro amigo. Aproveitem a Universidade e os amigos”, disse.

Mariana Santos, do Centro Acadêmico de Medicina Aluísio Bittencourt de Albuquerque (CAMABA), disse aos calouros que eles aprenderão, nos próximos 6 anos, que, na UEMA, tudo se resolve: para a mudança, há o acolhimento; para o cansaço, receberão o incentivo; para o desânimo, as grandes amizades que a UEMA trará. Eles encontrarão várias famílias para lhes abraçar e dar o melhor que puderem para que continuem firmes no propósito de se tornarem profissionais humanos e capacitados. Aos pais e responsáveis, ela destacou que momentos de alegria e tristeza são essenciais na edificação do ser humano. A distância dará aos alunos força e independência para enfrentar o mundo e eles não estarão sozinhos.

Lara Stephanie Porfiro se pronunciou representando o comitê da IFMSA (Federação Internacional das Associações de Estudantes de Medicina do Brasil): “Essa Federação foi criada para impactar o mundo e capacitar seus membros, tornando ideias em realidade, inspirando gerações de estudantes de Medicina a desenvolver as habilidades de liderança e enfrentar desafios para melhorar o mundo ao seu redor, em um período crucial de suas carreiras. Imagino o quanto sonharam com esse dia. Acredito que tiveram que abdicar de algumas coisas para chegar aqui. Eu os convido a fazer parte dessa instituição e se juntar ao nosso ideal de serem estudantes de Medicina que fazem a diferença”, concluiu.

Após os pronunciamentos, os calouros receberam os jalecos de seus padrinhos e madrinhas.  Em seguida, fizeram o juramento, lido pelas alunas Camilly Paulo (à tarde) e Taciana Araújo (à noite).

                                                                               

                                                                               

                                                                     

Por Emanuel Pereira



Últimas Postagens - Array / noticias-uema