Santa Inês: Alunos de enfermagem realizam musicoterapia em hospitais


Por em 8 de março de 2018



musicoterapiaMúsica e paixão pela vocação, esses são os dois ingredientes do recente trabalho que os alunos do curso de enfermagem do Campus Santa Inês da Universidade Estadual do Maranhão estão utilizando em seu projeto intitulado “A enfermagem e a musicoterapia oferecendo dias melhores em ambientes hospitalares”, que como o próprio nome sugere, tem como objetivo levar uma atividade lúdica por meio da música no Hospital Macro Regional da cidade de Santa Inês.

A ideia surgiu após o professor Marcelo Vasconcelos, coordenador do projeto, se inspirar no filme Patch Adams: O Amor é Contagioso, que narra a peculiar história de um médico que se veste de palhaço e leva alegria para pacientes internados em um hospital e lida de frente com o tradicional corpo docente do curso de medicina de sua universidade. No caso do professor, ele utilizou a essência do filme para reunir alunos do curso de enfermagem para realizar algo similar.

Com música e caracterização dos alunos, a ideia é levar alegria: “O repertório é composto por músicas infantis, oferecendo alegria em um momento de desconforto que o paciente se encontra. Busca-se com a musicoterapia uma melhora no quadro dos pacientes internados”, disse Vasconcelos.

Ainda segundo o professor, “As terapias alternativas podem ajudar muito no processo de cura dos internados, e este projeto busca, além de apresentar visibilidade da Universidade na comunidade externa por conta da extensão, evidenciar aos alunos da enfermagem a realidade profissional do seu curso”.

musicoterapia2

Para o aluno Vitor Lucena, o projeto apresenta uma ótica diferente da futura profissão: “Não é um trabalho e sim uma oportunidade de ver o processo saúde/doença de um ângulo totalmente diferente”. Ainda segundo Vitor, a experiência proporciona um olhar humano em cada encontro que dura cerca de duas horas: “Essa vivência traz uma melhor compreensão de como estão nossos pacientes. Ver o sorriso no rosto de uma criança enquanto você canta pra ela, não tem preço. É como meu professor nos ensina a cada dia: não é apenas a graduação e um diploma, mas sim a oportunidade de ajudar o próximo, isso chama-se humanização”.

Para o professor Marcelo, a experiência proporciona, também, um amadurecimento profissional para os alunos, pois possibilita um processo humanitário por meio dos conhecimentos proporcionados pela academia e assim melhor atendimento aos pacientes.

Por: Jonas Sakamoto



Últimas Postagens - Array / noticias-uema