UEMA realiza a palestra “Saúde Mental: doenças e desafios dos jovens do Século XXI”

DSC_0017A Universidade Estadual do Maranhão(UEMA) por meio da Ajuri Consultoria- Empresa Júnior de Ciências Sociais realizou nesta terça-feira(10) uma série de palestras com o tema “Saúde Mental: doenças e desafios dos jovens do Século XXI”. O objetivo é promover discussões sobre como o universitário e a comunidade estudantil tem lidado com questões que envolvem a ansiedade, a depressão, o suicídio e a saúde mental.

“  O nosso evento foi escolhido para essa data pois hoje é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e é preciso pensar na saúde mental do jovem universitário e  do estudantes de ensino médio. Estamos pensando sempre em eventos voltados para os questionamentos encontrados dentro da Academia,” afirma Mary Lindozo, presidente da Ajuri Consultoria.

A Dra. Maria Jucilene Silva, psicóloga clínica e chefe de Divisão Psicossocial PROGEP, coordenadora do SOPP/UEMA, fez uma abordagem sobre os conceitos que envolvem a melancolia a partir do século XIX e como podemos identificar os sintomas da depressão.

“Podemos definir o sentimento como o sexto sentido humano, pois ele interpreta, organiza, dirige e resume os outros sentidos como o olfato, audição, o tato, a visão e o paladar. Ele revela se o que estamos experimentando é ameaçador, doloroso, triste ou alegre. Os antecedentes da depressão, principalmente entre os jovens, se caracterizam na ansiedade manifestada pelo medo da mágoa ou da perda, estas conduzem a raiva, que se não for contida conduz a culpa e a culpa não aliviada conduz a depressão,” ressalta a Doutora.

Para o Dr. Cláudio Guida Sousa, psicólogo Clínico e Especialista em Neuropsicologia, a ansiedade é um estado psíquico de apreensão ou medo provocado pela antecipação de uma situação desagradável ou perigosa.

“Entre os sintomas da ansiedade estão: enxergar perigo em tudo, ou superestimar o perigo nas situações que temem ou evitam; alterações no sono, como insônia onde o estudante não consegue se desligar do que fez durante o dia; comer compulsivamente e as tensões musculares. Quem sofre de ansiedade não consegue vivenciar intensamente o presente. Atualmente recebemos no SOPP/UEMA cerca de 50 estudantes por semana com característica de ansiedade fora do normal”, conclui.

Nas inscrições do evento foram arrecadados alimentos não perecíveis que serão doados para a comunidade do cajueiro.

Por Priscila Abreu

Fotos: Rafael Carvalho

 

Compartilhar.