Pesquisadores lançam livro de fotos no campus Caxias


Por em 30 de outubro de 2018



DSC07125

(Foto: Emanuel Sousa)

Durante o XVII PROLER e 9º Salão do Livro, encerrados sexta-feira (26), no Campus Caxias, foi lançado um livro com imagens feitas por Sinésio Santos, fotógrafo pioneiro na cidade. Com o título “A Cidade e os Olhos”, o livro (com mais de 300 fotos), tem o mesmo nome de uma exposição fotográfica que vem sendo feita para divulgar a Caxias de antigamente. As imagens são acompanhadas por textos.

O livro faz parte de um projeto encabeçado pelas professoras do Campus Caxias Marinalva Aguiar, do Curso de Letras e Valtéria Alvarenga, do Curso de História. A proposta é pesquisar e recuperar elementos históricos relevantes para a história de Caxias. Elas apresentaram o projeto para Sinésio Santos Filho, que concordou em ceder parte do acervo para a publicação. O lançamento ocorreu no auditório da instituição.

A professora Marinalva falou sobre a iniciativa: “Um grupo de professores se reuniu para esse trabalho. É um livro feito por várias mãos. Queremos demonstrar nossa gratidão a Sinésio Santos Filho. Foi um trabalho que levou tempo. Precisamos usar um equipamento específico para digitalizar as fotos e tivemos o cuidado de traduzir os textos para o espanhol. Cada professor escreveu sobre um tema: religião, política, família, etc”.

DSC07137

(Foto: Emanuel Sousa)

A Diretora do Campus Caxias, Profa. Dra. Valéria Cristina, participou da homenagem: “Um trabalho desses envolve muito esforço de pesquisa. Não é só um livro de fotografias; há todo um contexto. São quatro décadas de registros. A professora Márcia Santos, filha do homenageado, é professora do CESC/UEMA. Lembro da época em que usava-se a melhor roupa para ser fotografado. Era difícil tirar fotos, isso acontecia duas ou três vezes por ano. É uma satisfação ver o resultado alcançado. Para as novas gerações fica esse trabalho. Parabéns ao grupo que o realizou”.

A professora Valtéria agradeceu a colaboração dos amigos; “Agradeço à família de Sinésio e aos que confiaram nesse trabalho; a todos os professores. Ficamos imaginando que metodologia usar. A intenção foi transmitir a grandeza desse trabalho. Foram muitas as ajudas como as da FAPEMA, UFPI (Universidade Federal do Piauí) e UESPI (Universidade Estadual do Piauí). Onde buscamos ajuda, encontramos. Cada um contribuiu com o que era necessário. Foi um desafio, pois eu não trabalhava com fotografias. É o trabalho de um grande homem, que nos deixou lições. Suas fotos não tinham finalidade comercial; elas mostram a evolução da cidade. Ele tinha um olhar muito amplo sobre a vida”.

DSC07145

Sinésio Santos Filho agradeceu aos envolvidos na pesquisa e no livro: “Meu pai era um sábio, um profeta. O que ele disse está acontecendo. A professora Valtéria acreditou em mim e nos deu muita força. Muitos não acreditavam que tínhamos esse acervo. Meu pai morreu há 19 anos  e diziam que tínhamos nos desfeito desse material. Taí o acervo numa Academia, feito por estudiosos. Tenho gratidão pelos que fizeram esse trabalho”.

Márcia Santos, professora do CESC/UEMA, falou: “Meu pai tinha muita sabedoria. Fazia poesia através de fotos. Isso é uma arte. Para os que não tinham condição de comprar uma foto, ele doava. Não tinha o conhecimento dos livros, mas a sabedoria humanística. Nossa gratidão é eterna”.

Por Emanuel Sousa



Últimas Postagens - Array / noticias-uema